domingo, 14 de dezembro de 2014

Lembro

Lembro de quando eu me maravilhava,
e dentro deste meu peito habitava,
sentimento que tudo pode e alcança,
lembro de quando eu já tive esperança.

Lembro de quando eu muito planejava,
e meu futuro não me preocupava,
pois vivia inocente como uma criança,
lembro de quando eu já tive esperança.

Lembro de quando não me amedrontava,
da vida, pois nela tudo agradava,
e o presente era, todo ele bonança,
lembro de quando eu já tive esperança.

Lembro de quando verazmente achava,
e com verdadeira fé esperava,
de minha situação, uma mudança,
lembro...eu acho...que tive esperança...

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg
Imagem: thelifelist.fr

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Fardo

Eis que eu andava com dificuldade,
arrastando um fardo muito pesado,
e por estarem com curiosidade,
passei a ser por eles indagado:

"A que se deve este fardo bizarro,
que nem sei se choro ou se tiro sarro?"
"Já nem mesmo eu sei onde é que o fizeram.
Não lembro se eu o tinha ou se mo deram."

"E sabes ao menos se o fardo é teu,
ou se outra pessoa que to concedeu?"
"Eu também não sei a quem pertencia,
mas penso que fora de outrem um dia."

"Mas diga-me então o por que o levas,
por que tu não o largas e assim te elevas?"
À esta pergunta não tive resposta.
Por que eu levava este fardo nas costas?

"Esta questão eu não sei explicar,
pois nem mesmo eu sequer sei a razão.
Só sei que eu não o consigo largar,
eu não consigo pousá-lo no chão."

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

Imagem: timeshighereducation.co.uk


domingo, 2 de novembro de 2014

Andorinha

Eu vi uma andorinha,
deitada na estrada,
coitada tão sozinha,
e com a asa quebrada.

Quem ia quem vinha,
não, ninguém fazia nada.
Mas vida ela ainda tinha,
e eu a quis ver curada.

Fui ver a sua asinha,
que tava machucada,
e para a alegria minha,
sim, iria ser sarada.

Eis que esta ave meiguinha,
não canta de magoada,
mas o dia se avizinha,
pois ela é muito amada.

Minha linda avezinha,
por mim tão estimada,
não fiques tão tristinha,
pois és muito apreciada.

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

sábado, 1 de novembro de 2014

Farsa

Um dia meu coração me falou:
"Mas o que é isto que me estás fazendo?
Não basta todo o mal que me causou?
Insistes que eu continue sofrendo?"

Esta declaração mui me espantou,
e eu respondi: "O que estás tu dizendo?
Que foi que aconteceu que te amargou,
para que digas algo tão horrendo?"

"A Vida sob os seus pés me calcou,
me espancando com um furor tremendo.
Mas pior do que isto que já se passou,
é continuar o que sinto escondendo".

O que me disse então me emocionou,
e disse-lhe em resposta: "Eu entendo.
Mas eu te peço, se até aqui chegou,
siga um pouco mais a farsa mantendo".

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

Limite

Que mais posso eu dizer?
Pois já foi tudo dito...
Que mais posso escrever,
Pois já foi tudo escrito...

Que mais vou declamar?
Sentimento maldito...
Que mais vou presenciar?
Tudo me deixa aflito...

Que mais vou suportar?
Meu tormento é infinito...
Irão me resgatar?
Eu já não acredito...

Breno Sarranheira

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Novo vídeo - O céu é azul

https://www.youtube.com/watch?v=ZIqEk5cS8vs

Companheira

Quando de luto por toda a extensão,
dos firmamentos o céu se reveste,
e calmamente repousa a criação,
sob o infinito da esfera celeste.

Ela de mim se aproxima então,
e me pergunta: "Tu não adormeces?
Larga estas dores, toda esta aflição.
Eu não entendo por que te esmoreces.

A todo instante eu estou ao teu lado,
e te consolo com todo o carinho,
mas mesmo assim tu te sentes fadado,
em que estarás para sempre sozinho."

Eis que então penso no que foi falado,
e tenho mesmo que lhe dar razão.
Como me posso sentir desprezado,
se sempre estive com a Solidão?

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

Imagem: theguardian.com



 

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Dança

Vejo as pessoas cantando e dançando,
numa folia que aos próprios céus alcança,
e em pouco tempo me vou enojando,
de ver toda esta bizarra lambança.

Às vezes penso estarem provocando,
vendo aonde o desespero me lança,
como se me estivessem colocando,
a própria sanidade na balança.

Há os que tentam e vem perguntando:
"Por que não danças também a "Esperança"?",
tenho que então persistir explicando:
"Nunca aprendi como é que isto se dança..."

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

Imagem: dancesparks.co.uk/


sábado, 18 de outubro de 2014

Bancos da praça

Eis que eu escuto ao passar pela praça,
quando me insultam os bancos baixinho,
e sem pudor dizem: "Mas que desgraça,
olha o mancebo que segue sozinho!"

Outros se sentam e estão à vontade,
dão e recebem amor e alegria.
Quis saber então, saber a verdade,
por que comigo isto não ocorria.

A muito medo fui me aproximar,
e o banco disse: "Estamos reservados",
"Mas como que isto se pode passar?!"
"Nós somos bancos só de namorados"

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

Imagem: arkaplanda.com


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Chuva

Tenho uma amiga que ninguém mais tem,
desce dos céus só pra me confortar.
Muitos se queixam de quando ela vem,
mas eu jamais deixo de me alegrar.

O tilintar de suas notas me acalma,
do seu piano, tão doce a melodia.
Cura-me todas as feridas da alma,
ainda que seja só por um dia.

Com um carinho quase maternal,
lava-me a face de todo o meu pranto.
Leva pra longe de mim todo o mal,
e é nos seus braços que faço um recanto.

Ó minha leal amiga tão amada,
certifica-te de que não esqueces,
de no regresso para tua morada,
levar contigo também minhas preces.

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

Imagem: commentsyard.com


sábado, 11 de outubro de 2014

Saudade

Sinto saudade...

De sair apressado para casa,
depois de muitas horas trabalhadas,
já com meu peito todo ardente em brasa,
ansioso das carícias reservadas.

Sinto saudade...

De ver nos olhos d'outrem todo o amor,
que por meu coração fora sonhado.
Tanta alegria que até causa temor,
de ser um dia de tudo isto privado.

Sinto saudade...

Dos meus desejos não ter que sonhar,
pois o que q'ria já tinha acordado.
O amanhã não deixar me intimidar,
já que ela sempre estaria ao meu lado.

Sinto saudade...

Do tempo nem me aperceber passar,
quando eu estava com ela abraçado.
Ó tenho sim...tenho que confessar...
sinto saudade de quando era amado...

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

Imagem: swimcyclerun.wordpress.com


Canal no youtube!

Dizendo a Mente agora tem um canal no Youtube! Uma ótima opção para aqueles que apreciam não só ler como também ouvir a poesia.

Confira nosso primeiro vídeo.
https://www.youtube.com/watch?v=cjkgenFgSwc

https://www.youtube.com/watch?v=cjkgenFgSwc

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Sonhos e pesadelos

Ao invés desta luz que me encandeia,
dum astro altivo, prepotente e rude,
prefiro a noite, que esta não receia
minh' alma, pois com brilho não a ilude.

À noite enquantos os homens tomam ceia,
e saciados vão pros seus aposentos,
minha mente pra mui longe vagueia,
e teço 'inda acordado pensamentos.

Sonho com mágoas, tristezas e dores,
por vezes ouso mesmo uma quimera:
puros, inocentes, lindos amores,
ou quem sabe paixão de primavera.

E começando o sol a fulgurar,
é que tremo ao lembrar meus pesade-los,
pois pior do que com teus medos sonhar,
é quando acordar teres de vive-los.

Breno Sarranheira.

Canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgxeH_WQ9OGcoQ4IaAMI3eg

Imagem: greylynx.deviantart.com


quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Não

Não me olhes com carinho,
não tentes me enganar,
não me fales de mansinho,
não finjas te importar.

Não me abraces com doçura,
não queira me entender,
não me trates com ternura,
não tente me convencer.

Não venha me animar,
não queira me fazer crer,
pois se ninguém me quer amar,
como é que podes tu querer?

Breno Sarranheira.

Imagem: boomwallpaper.com


domingo, 5 de outubro de 2014

Deseje algo com todo o seu coração e o sucesso será, não provável, mas inevitável.

Breno Sarranheira.

sábado, 4 de outubro de 2014

Nome de família

Seja do monte ou da herdade,
isto é que eu já não sei bem,
mas o que sei que é verdade,
é que ninguém mais o tem.

Até já vi semelhante,
mas jamais um mesmo igual.
O nosso nome é importante,
e vai ter fama mundial.

Não houve outra em Portugal,
é primeira e derradeira,
dum nome tão especial,
a família Sarranheira!

Breno Sarranheira.



Por mais que a madrugada da tristeza seja fria e escura, o sol da felicidade sempre nasce, e quanto mais tempo a escuridão dura, mais perto está a manhã.

Breno Sarranheira.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Desistir

Desisti de continuar a tentar,
agradar quem não me agrada também.
De com palavras mansas embalar,
o coração de quem não me quer bem.

Desisti pois, de tentar compreender,
como interpretam aquilo que digo.
De entender se o que lhes passo a dizer,
me faz ou não parecer um amigo.

Desisti de pros outros disfarçar,
esta minha constante frustração.
De encontrar quem valha o risco de amar,
pra quem eu pudesse dar meu coração.

Breno Sarranheira.

Imagem: forum.tkaraoke.com



quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Era uma vez

Eu vou contar-vos uma bela história,
duma princesa dos tempos atuais,
mas que mesmo assim evoca memórias,
daquelas antigas, das ancestrais.

Era uma vez uma meiga donzela,
que trabalhava com muito vigor,
e só queria o que qualquer um anela,
ter a sua vida repleta de amor.

Mas apesar de ser muito esforçada,
o seu esforço não era apreciado.
Na sua casa era muito maltratada,
por aquele com quem tinha casado.

Pouco a pouco, seu olhar brilhante,
seu coração, começou a atraiçoar,
e eu vi que o seu verdadeiro semblante,
era o que ela tentava não mostrar.

Suas tristezas passou-me a relatar,
destilando a agonia do coração.
Tudo que ela tinha de suportar,
tantas dores, tanta ingratidão.

Toda sua mágoa eu gravava na mente,
tentando abafar o que o peito urrava:
indignação dela ser complacente,
com as feridas das quais se queixava.

Um dia por fim não pude suportar,
continuar a ver sua humilhação.
Fui embora jurando não voltar,
sem ver que ela tinha meu coração.

Havendo já muito tempo passado,
é que resolvi procura-lo então,
quis saber se ela mo tinha roubado,
ou se o recebera da minha mão.

Tolo, achei que não iria sentir nada,
que meu pulso não ia acelerar.
Não entendia a frase celebrada:
"Amor puro nunca vem a acabar."

E chegando lá fiquei pasmado,
quando ela me mostrou meu coração.
Estava tal qual o tinha deixado,
nenhuma marca, nenhum arranhão.

Mas por fim eu tive pois que partir,
talvez não estivesse destinado,
embora eu saiba o que vim a sentir,
amor nunca antes experimentado.

Sei que esta história não é animada,
não tendo o final que lhe é costumeiro,
mas ao contrário dum conto de fada,
esta é uma história de amor verdadeiro.

Breno Sarranheira.

Imagem: mensagenscomamor.com



terça-feira, 30 de setembro de 2014

Perfeita

De lindos, lisos, cabelos doirados,
de olhar mais belo do que uma turquesa.
Todos que a veem ficam logo encantados,
pasmados por causa de sua beleza.

Ao me ver, corre e me abraça apertado,
beija com gosto e a face acaricia.
Nunca se cansa de estar ao meu lado,
e eu também não, de sua pele macia.

Seus lábios tem o brilho dum rubi,
mais belos do que eles eu nunca vi.
E apesar de ser mais linda que a aurora,
e bela por dentro e também por fora.

Ouvi-la falar sempre é um prazer,
regalar-me com seu grande saber.
Pois não adianta ter magnificência,
se também não tiver inteligência.

Desse jeito que é a minha querida,
a que dá alegria para a minha vida,
aquela que ama-me com todo o ser,
que tornou-se a razão do meu viver.

Breno Sarranheira.



domingo, 28 de setembro de 2014

Paixão

Mas o que é isto que sinto em meu peito?
Que me deixa a tremer e tão sem jeito?
Vem assim de repente e me arrebata,
alegra-me a vida enquanto me mata.

Faz-me sonhar mesmo estando acordado,
sinto-me de novo um adolescente.
Ó como eu queria sim ser informado,
se é o mesmo aquilo que você sente!

A Deus nada mais eu iria rogar,
se do meu lado eu pudesse te ter.
Pois que mais poderia eu desejar,
do que poder amar e amado ser?

Breno Sarranheira.

Visite nosso blog: http://dizendoamente.blogspot.pt/

Imagem: gibeauty.com



quarta-feira, 24 de setembro de 2014

I know

I know that I should not weep for the past,
that a heart still beats inside of my chest.
That all the pains will one day be no more,
and things we’ll be much better than before.

I know that the sorrows must one day end,
Sooner or later this will come to be.
That the heartaches that in my mind still stand,
Shall no longer come back to torment me.

I know that these wounds we’ll one day be healed,
if one waits the time that is necessary.
That this sadness will eventually yield,
Even it now it seems like the contrary.

I know that I’ll find a love that is true,
a person to make me happy indeed.
That will give the endearment to me due,
For that’s all that I continue to plead.

But even as I know all of this,
I’m still not able to have any peace.
For knowing all that is not very hard,
What’s hard is to get it inside my heart.

Breno Sarranheira.

Image: artoflivingsecrets.com



domingo, 21 de setembro de 2014

Sei

Sei muito bem que não deveria,
continuar sofrendo o passado.
Que em meu futuro há de ter alegria,
e tudo aquilo que tenho sonhado.

Sei que as tristezas hão de se acabar,
cedo ou tarde isto vai acontecer.
Que as mágoas que persisto em relembrar,
um dia vou sim conseguir esquecer.

Sei que estas feridas sempre se curam,
se esperar o tempo que é necessário.
Que pra toda a vida elas não perduram,
embora agora pareça o contrário.

Sei que encontrarei amor verdadeiro,
alguém pra me fazer muito feliz.
Que me de seu carinho o tempo inteiro,
pois isto foi tudo o que sempre quis.

Mas mesmo assim não consigo paz ter,
por esta única e simples razão:
do que adianta estas coisas eu saber,
se elas não estão em meu coração?

Breno Sarranheira.

Imagem: artoflivingsecrets.com


sábado, 20 de setembro de 2014

Loneliness

Loneliness is...

to have your meal by yourself,
philosophize about life,
not be able to say "good morning" to anyone;

to never turn off the television,
stay at home in a beautiful sunny day,
never receive that caress.

Loneliness is...

to never share your joys,
be alone even in a crowd,
forget even how to smile;

to never be able walk while holding hands,
your love never declare to any one,
transmit your emotions by poems.

Loneliness is...

to not be pleased with your life anymore,
weep in your bed every night,
retain severe agony in your bones;

to walk in this land only as a shadow,
not endure the passing of time,
waiting for the love that one day you dreamed of.

Breno Sarranheira

Imagem: wkc.org/loneliness-and-the-biblical-psalms/



I can no longer

I can no longer listen to that song,
I can no longer live in that land,
I can no longer feel that perfume,
for all this makes me remember.

I can no longer what that movie,
I can no longer think of her name,
I can no longer feel any touch,
for all this makes me remember.

I can no longer eat that food,
I can no longer contemplate the horizon,
I can no longer even run in the rain,
for all this makes me remember.

I can no longer see that color,
I can no longer think about love,
I can no longer after all live,
for everything in life makes me remember.


Breno Sarranheira.


Mistake

A long time ago I was "blessed",
and "gifted" with a heart,
but while I was still taken over by joy,
I was severely advised:

"Watch it and be careful,
it is a fool and doesn't understand what it sees,
be wise and keep it under control,
or it will control you."

Disregarding the advise given,
I gave it to the first girl I found,
and while I was waiting to be loved,
I witnessed this macabre scene:

Like if it was a jewel,
very solemnly I delivered it,
like with a baby that sleeps,
very lightly I put it in her hands.

And what followed is hard for me to say,
for my heart she took,
with a despize that I can't describe,
and trampled under her feet.

And now what do I have to offer?
For my heart I have already wasted,
but even if I could get another,
I wouldn't want it because I don't know how to wield it.

Breno Sarranheira.



Gift

I don't know way that look of yours asks,
for that which you should already have,
and from your sweet palate proceeds,
heartaches that you shouldn't know.

I long that you may take hold,
of the happiness that is due to you,
and that the joy that was stolen from you,
may be felt by you again.

That you may flaunt your beauty,
like a medal from hard fought battle,
amaze me with your intelligence,
with each given statement.

Stir my emotions with your words,
the only ones that my heart listens to,
and with your wisdom silence me,
for even my very soul it scans.

I hope you like your gift,
my much beloved friend,
I want you to know that,
you'll always have a place in my heart.


Breno Sarranheira.

For a friend...



sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Aventura

Viajei para o outro lado deste mundo,
voando por cima do oceano profundo.
Fui pra uma terra que não conhecia,
co'a ideia fixa daquilo que queria.

Encontrei lá mais do que imaginava,
também passei o que nunca esperava.
Fiz tudo aquilo que já tinha ansiado,
e até o que jamais teria pois pensado.

Mas mesmo assim, ao voltar ao meu lar,
não tive como deixar de pensar,
em tudo aquilo que ficou pra trás,
tudo o que agora pra mim falta faz.

Tenho saudades da minha rotina,
saudades dos com quem eu convivi.
E ainda aquilo que mais me fascina,
saudades das coisas que não vivi.

Breno Sarranheira

Imagem: justinsilver.com



quinta-feira, 18 de setembro de 2014

She

Yesterday I travelled by public transportation as it is my habit. While looking out of the window during one of the stops, I noticed a beautiful blonde girl. She noticed me too and almost during the whole of the waiting time we kept gazing at each other. She didn’t smile and neither did I.

It may seem insane but, the beauty of the girl and the thought that I would probably never see her again, caused in me a sudden and intense desire to step out and talk to her. Although that was the only way that I could ever get to meet her, I know that if I had done it she would probably think that I was crazy. So, I did the only thing that I had left to do, moving on and forgetting about her.

However, I can’t stop thinking that It seems equally insane to NOT have talked to her. Couldn’t I have gotten out of the vehicle? After all, my drive wasn’t urgent. Would anyone censure me? Would it somehow be offensive to the girl for me to take such action? After reasoning about all these questions, it seems more ridiculous to have done nothing.

Opportunities are like the wind, they come and go, without warning and unexpectedly, some are more subtle than others and each one is unique and precious. Who knows? That might had been my future wife, but now I’ll never know...

Breno Sarranheira.



Starry sky

I try in vain to count the stars,
while I admire their beauty,
but as I begin to reason,
with each count I groan.

As a fool I keep watching the sky,
hoping to reach them someday,
but as I continue to gaze,
my heart persists to wane.

I wanted so much to have one just for me,
even if it was a very tiny one,
oh, how much it would please me,
I would keep it with all care.

However I stay here resigned,
quietly contemplating the starry sky,
what can after all I do,
since I can’t go up and they won’t come down?


Breno Sarranheira


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Happiness

Happiness is the destiny of fools and the road of the wise.

Many think that there is a way to happiness. So they go, partner after partner, house after house, job after job and are still not happy.

It is not their fault really. Since childhood they heard that happiness was a destiny, a finish line for the persevering or a spoil of war for the strong. Nothing could be further from the truth.

People think that happiness is a treasure inside a chest, which they can open with the key of owning a house, marriage, career, etc. The problem is that they don’t understand that happiness is the key! It opens the chests of success, love and so on. Isn’t it more probable for a worker with a cheerful persona? In the choosing of a partner, isn’t it more attractive someone with a smile in their lips?

A good start to be happy is to be grateful for what you already have. I know that sometimes it can be hard to identify the good things we have in life. If that’s so in your case, think of what you would miss if you lost, such as your health, your relatives, your life or even the simple meal of the day. Certainly you’ll see something to be grateful for.

So remember: happiness is lived, not achieved. When you realize that it is not where you want to get, but how you want be wherever is that you go, then you’ll be free to be happy.

Breno Sarranheira.



Mask

Under that sketch,
beneath your face,
there is a heartbreak,
that is imposed on you by someone else.

Behind that joy,
which you only appear to have,
there is a sublime agony,
that I do not know how you endure.

And what your eyes leak,
beyond the inert body,
are heartaches already felt,
revived sorrows,
and repressed pains.

But even if you were distant,
already only like a shadow in my memory,
you would never be in any instant,
despoiled of all your glory.

For a friend...

Breno Sarranheira.



Gata

Havia uma gatinha que eu gostava,
duma pelugem negra e bem sedosa.
Ó como esta gatinha me aliciava,
aparentando ser meiga e amorosa.

Bastou-me só um olhar de tal ternura,
pra que ela me roubasse o coração.
Seu miado era de tamanha doçura,
que a quis ter só pra mim, de estimação.

Mas a gatinha sempre fora esperta,
e então com muita artimanha ela agia.
Nunca deixava de estar bem alerta,
e antes que eu a agarrasse já fugia.

Gata malandra, só vinha comer,
nunca queria entrar na minha casa.
E por mais que eu quisesse a convencer,
minha importância para ela era rasa.

Breno Sarranheira.

Imagem: meudonoeobicho.com.br



segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Boa tarde a todos

Anel de Borboleta em Elásticos



Estou compartilhando este link do vídeo da minha prima, Madalena Sarranheira, para ajuda-la a impulsionar seu canal no youtube e seu blog. Se gostam de artesanatos e outras coisas mais, vão adorar os vídeos dela. Certifiquem-se de fazer-lhe uma visitinha. ;)

Abraços.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Abismo

Lentamente beijando minha pele,
desliza o fio da lâmina gelada.
E o meu sangue que da ferida expele,
traz junto a grande calma desejada.

Para cada mágoa que me atormenta,
para cada dor uma cicatriz.
Marca de quem realmente quer e tenta,
tenta mas não consegue ser feliz.

Os à volta não tem como entender,
nem imaginam como é que eu me sinto.
Julgar é tudo o que sabem fazer,
não dão saída pro meu labirinto.

E sei muito bem que quando perguntam,
querem ouvir o que mais os convém,
então de mim é só isto que escutam:
"Não aconteceu nada, eu estou bem".

Breno Sarranheira.

Imagem: weheartit.com/entry/134339606/via/lauren_churchill



quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Perdão

Perdoe-me não ter visto a dimensão,
da mágoa que habitava em teu olhar.
Perdoe-me não ter tido compreensão,
de ver que tua dor estava a espalhar.

Perdoe-me a falta de sabedoria,
que eu tive perante tua condição.
Juro, não há mada que eu não daria,
para voltar e mudar minha ação.

Perdoe-me por favor não ter notado,
em como eram tão claros os sinais.
Por eu não conseguir ter te parado,
até que tornou-se tarde demais.

Breno Sarranheira.

Imagem: theemotionmachine.com



segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Um dia

Um dia eu vou olhar pra trás e rir,
de tudo o que me causa muita aflição.
Um dia vou finalmente conseguir,
das feridas sarar meu coração.

Um dia vou encontrar amor sincero,
que à minha vida só traga alegria.
Alguém que me trate com muito esmero,
me amando cada vez mais dia-a-dia.

Um dia tudo isto se vai realizar,
embora eu não consiga agora ver.
Neste dia então eu vou acreditar,
em tudo o que eu acabei de dizer.

Breno Sarranheira.

Imagem: wisegeek.com.



sábado, 30 de agosto de 2014

Resposta

Bradei aos altos céus e perguntei:
"Ó pai! Por que me tens por inimigo?
Me diga qual das tuas leis eu quebrei,
pra que eu mereça tamanho castigo.

Pai, não te importas do meu sofrimento?
Minhas lágrimas são rios a correr,
tal a grandeza deste meu tormento."
Mas ele continuou sem responder.

"Pai, diz-me só quando vai acabar,
a hora de meu livramento ter,
pra que eu possa esperança cultivar."
Mas ele continuou sem responder.

"Pai, eu não posso isto mais suportar,
já perdi todo o meu gosto em viver.
Por que não vem duma vez me matar?"
Mas ele continuou sem responder.

Breno Sarranheira

Visite nossa página: Dizendo a Mente

Imagem: gointotheworld2012.wordpress.com



sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Jardim

O meu jardim outrora bem cuidado,
cheio das mais lindíssimas das flores,
tornou-se um árido ermo desolado,
arruinado por mui falsos amores.

Muitas mulheres já nele passaram,
e as minhas flores foram acabando.
Umas eu lhes colhi e elas levaram,
outras as foram logo pisoteando.

Ó pobre jardim de meu coração,
chego mesmo a acabar por olvida-lo.
Que diferença tem dar-lhe atenção,
se ninguém faz questão de visita-lo?

Breno Sarranheira.

Visite o nossa página: Dizendo a Mente

Imagem: savprocasp.blogspot.com



terça-feira, 26 de agosto de 2014

Pressentimento

Por cima de meu ombro ela murmura,
e nem se importa que em meu coração,
ainda exista uma fresca atadura,
que já me serve mui bem de lição.

Sinto-a aproximar-se lentamente,
com passos de trovão a ribombar.
Sei muito bem o quanto ela é inclemente,
pois já quase me acabou por matar.

Co'as últimas forças do corpo meu,
"Quem está aí?", me atrevi a perguntar,
e em minha mente a voz respondeu:
"A depressão, voltei pra te buscar!"

Breno Sarranheira

Dizendo a Mente

Imagem: mps.mpsomaha.org



sábado, 23 de agosto de 2014

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Our greatest obstacles are our own fears. Once overcame, everything is possible.

- Breno Sarranheira.
Nossos maiores obstáculos são nossos próprios medos. Uma vez vencidos, tudo é possível.

- Breno Sarranheira

Sem tinta

Enquanto as minhas rimas redigia,
tentando usar muito amor e paixão,
acaba a tinta com que eu as fazia,
e fui procurar em meu coração.

Mas gota alguma de tinta haveria,
nem que o destilasse por todo o dia.
Eis o que me explicou o professor,
muito entendido de poemas e amor:

"Como é que esperas poder escrever,
ou qualquer coisa bela vir a criar,
se o teu coração não deixas bater,
e já não te permites mais amar?"

"Mas professor, não quero mais sofrer,
que o meu coração seja maltratado."
"Tolo! Não consegues tu perceber,
que assim só pioras o teu próprio estado?

O coração tem que se emocionar,
é indiferente se sofres ou não.
Tudo o que importa é continuar a amar,
ou lá se vai a tua inspiração."

- Breno Sarranheira

Curta, comente e compartilhe. Visite nossa página no facebook: Dizendo a Mente

Grato por ler.

Imagem: shutterstock.com


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...